Um mundo de oportunidades para Startups na CPBR7

startup_makersA Campus Party Brasil 2014 terá uma nova área aberta, o Startup&Makers Camp. Um espaço dedicado para startups (empresas de software e aplicativos) e makers (empresas de hardware que operam robótica, wearables, devices, simuladores) que estão realizando uma revolução silenciosa com produções domésticas e atuação inovadora.

As 300 mais inovadoras do Brasil serão selecionadas para transferir seus escritórios durante o evento. Cada empresa receberá uma estação de trabalho para até 4 pessoas, onde, além de desenvolverem seus modelos de negócio, poderão vender seus produtos e serviços a um público potencial de 160 mil clientes.

Além disso as empresas poderão fazer parcerias entre si, acessar investidores nacionais e estrangeiros e conhecer talentos campuseiros – programadores, designers, conteudistas e marketeiros que podem colaborar no desenvolvimento do negócio.

As inscrições podem ser realizadas no link: http://www.campus-party.com.br/2014/startup-makers-camp.html

Anúncios

Construindo uma cadeia de valor #MaratonaDeNegócios #CPBR6

Na semana passada estivemos na Campus Party Brasil 6, com a equipe do @Laboratoriumbr dando apoio nas atividades voltadas para Startups promovidas pelo Sebrae durante o evento.
Tive a oportunidade de participar da banca de avaliação dos projetos que concorrem na Maratona de Negócios, que rolou durante a Campus, junto com a @ludmillaveloso a convite do @menta90 com apoio e liderança de gente bacana do Sebrae Nacional.

Dentre diversas ideias de projetos avaliados, muitas criativas e inovadoras, umas com pouco atratividade e baixa originalidade (eram cópias do que já existe fora do Brasil) e várias com apresentações fracas do próprio modelo de negócio (vide o baixo tempo que os participantes tiveram pra elaborar), encontramos um projeto inovador, com uma linguagem altamente acadêmica, mas com uma cadeia de valor incrível que nos fez avaliar a pontuação como se faz nas apurações de desfile de escola de samba em carnaval “NotÁ: DEZZZ”.

Sim, foi muito bom bater os olhos nos bons projetos. Tão bom que o que fez brilhar os nossos olhos foi o projeto FairPlay, elaborado pela Marcia Cristina dos Santos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Mesmo com uma linguagem altamente acadêmica (coisa de crânio de academia), o projeto foi elaborado para acontecer na mecânica de um game, com pontuações e bonificações para quem participa, além de contar com uma estrutura de custos altamente viável, onde não depende apenas de um segmento de clientes específico, mas de uma série de players do mercado, que juntos, conseguem fazer acontecer de uma forma extremamente inovadora.

Não posso falar muito sobre os detalhes do projeto, até porque ainda está em andamento. Mas o que posso mostrar é o que vemos no site publicado pela Marcia (confira nesse link).
Por quê o projeto nos fez brilhar os olhos?
– Alta atratividade com a Copa do Mundo – Era um dos critérios de avaliação dos projetos;
– Excelente apresentação. Português impecável;
– Gamificação do projeto;
– Players;
– Impacto social positivo (mobilidade é um grande problema em todo o território brasileiro) ~imagina na copa?~
– Uso dos smartphones e demais tecnologias em transversalidade.

Projetos como o FairPlay da Marcia precisam não apenas de investimento financeiro, mas de atenção, apoio e aceleração pra fazer de um sonho uma realidade.
Fico feliz quando vejo Startups dando certo e colaborando com a sociedade de forma positiva, criando valor para o cliente, com o cliente. E é esse o caminho que o mercado está tomando nesse novo século: ganha quem criar uma cadeia de valor.

Parabéns Márcia pelo projeto. Estamos torcendo por você!

Confira os projetos que foram pra final na maratona de negócios aqui.