Sua empresa na internet – Ô cabecinha! A abertura dos olhos da velharada

Nós que somos jovens profissionais, estamos o tempo todo nos forjando a comprovar o resultado do uso das tecnologias para as empresas conservadoras (e seus dirigentes antiquados). Mega complicado enfrentar essas barreiras nas pequenas, médias e grandes empresas. Mas o tamanho do desafio é o que nos motiva, não é mesmo?

A nova era está aí, a revolução já começou e não virá pelo rádio, jornal e muito menos via televisão. Estamos vivendo um momento histórico na humanidade em que muitos profissionais de comunicação, por pura ignorância ou arrogância baseada nos seus princípios de liderança antiga, quer dizer, dirigência (pois o líder é aquele que pensa nas pessoas e não em benefício próprio), acabam limando projetos maravilhosos de jovens profissionais que estão chegando no mercado de trabalho cheios de vontade de fazer acontecer.

O que dizer sobre a geração milenium que teve a boa sorte de crescer em meio a tecnologia? Incluindo seus viés ela possui seus benefícios, mesmo com a grande quantidade de informação e conteúdo, os hard users da web sabem muito bem onde procurar e quem seguir na rede para conseguir aquela informação preciosa que antes o diretor de marketing pesquisa nas revista e jornais. Santa tendência! Oremos para que eles, velhos profissas, abandonem os impressos e coloquem os aplicativos certos em seus tablets. Esqueça Veja, Valor, Exame e demais mídias de massa que falam sobre o mercado. Por mais que elas tenham conteúdo de qualidade e aprofundados, lembre-se que por trás de cada “matéria” existe uma grande empresa que influencia em todas as informações, mesmo sem ter o nome de informe publicitário (que é comprado). Não estou falando por achismo, acredite.

Vai esperar quanto tempo para colocar o seu analista junior dentro do planejamento de comunicação e mídia da sua empresa? Você não contratou o cara para somar na sua empresa? Então! Abra os olhos e dê uma chance do cara evidenciar o máximo do potencial dele com o que ele sabe e pode oferecer (e lembre ele disso).

Fica a dica para os profissionais da era da ditadura militar que ainda guardam pra si mesmos a sua experiência de longos anos que, por mais valiosa que seja, deve se abrir para o novo e dar mais oportunidades para quem sabe de verdade. A interdependência é muito mais forte que a independência. Pensei nisso.

Anúncios