Um mundo de oportunidades para Startups na CPBR7

startup_makersA Campus Party Brasil 2014 terá uma nova área aberta, o Startup&Makers Camp. Um espaço dedicado para startups (empresas de software e aplicativos) e makers (empresas de hardware que operam robótica, wearables, devices, simuladores) que estão realizando uma revolução silenciosa com produções domésticas e atuação inovadora.

As 300 mais inovadoras do Brasil serão selecionadas para transferir seus escritórios durante o evento. Cada empresa receberá uma estação de trabalho para até 4 pessoas, onde, além de desenvolverem seus modelos de negócio, poderão vender seus produtos e serviços a um público potencial de 160 mil clientes.

Além disso as empresas poderão fazer parcerias entre si, acessar investidores nacionais e estrangeiros e conhecer talentos campuseiros – programadores, designers, conteudistas e marketeiros que podem colaborar no desenvolvimento do negócio.

As inscrições podem ser realizadas no link: http://www.campus-party.com.br/2014/startup-makers-camp.html

Onde o Visual Merchandising se encontra com Google Analytics

vmonline

As marcas de luxo sempre investiram fortemente na criação da experimentação de compra perfeita em suas lojas. A equipe de Visual Merchandising sempre teve como tarefa o desafio de criar uma experiência dentro das lojas que se encaixasse como uma luva com a identidade da marca, que apresentasse da melhor forma possível os produtos e coleções e trouxesse um reforço e uma ligação emocional com clientes a partir de suas atitudes em relação à marca.

E é essa experiência com a marca que representa uma grande parcela do preço alto dos produtos premium, como também a exclusividade ao acesso do que é vendido nas lojas. Consumidores de luxo buscam experiências o tempo todo. No interior das lojas, todos os sentidos são utilizados como triggers de compra através de apresentações visuais com forte investimento em design e cenografia, áudio qualificado para gerar uma atmosfera que tire o cliente da sua rotina, exposições que incentivem o toque nas peças, provadores e áreas de interação com os produtos e em alguns casos, elementos olfativos que engajam o consumidor a apelos emocionais puramente intuitivos, levando ao final desse processo a uma afinidade a marca e, claro, a compra propriamente dita.

Os canais de venda online, por outro lado, buscaram seguir uma tendência que se utiliza das melhores práticas do chamado “caminho do autosserviço” ou o uso das práticas utilizadas pelos supermercados pelo mundo afora. Tudo começa com uma entrada ampla seguida por zonas de descompressão para facilitar os destinos do shopper, carrinhos e cestas disponíveis facilmente identificáveis assim que preciso para iniciar o ato da compra o mais rápido possível, um perfeito corredor central com claras e objetivas divisões de categorias, poucas e únicas trilhas fáceis de seguir com uma disposição de produtos no final onde o cliente rapidamente faz suas escolhas para que outros compradores possam vir atrás e fazer as suas. Easy, breeze, beautiful!

Nos últimos anos, o estudo sobre o poder do ecommerce no varejo moderno e as melhores práticas para atuar nesse canal foram as grandes novidades em grandes eventos do segmento. A efetiva categorização dos produtos e a otimização do processo de checkout são os trending topics dos profissionais que atuam nessa área independente do segmento de mercado que buscam. Porém, não é difícil perceber que esse vasto apelo funcional do ecommerce não se parece em nada com o investimento que está sendo feito na sala ao lado pela equipe de visual merchandising, onde a experiência intuitiva e emocional da marca está sendo trabalhada a exaustão. Por isso não é de se achar estranho que o ecommerce daquela marca de luxo não se parece em nada com a incrível loja do andar térreo do shopping JK na qual o cliente está disposto a pagar pelo premium por uma compra nada funcional ou racional.

Obviamente que não podemos ignorar que o primeiro e maior objetivo tanto da loja física quanto da loja virtual é a venda. Mas, já é hora de considerar a conexão emocional entre o consumidor e marca também no funil das vendas online, ao invés de simplesmente focar em um processo prático que basicamente facilita a usabilidade e a transação financeira do consumidor.

Com mais pessoas comprando online e hoje, até algumas pessoas comprando APENAS online, as lojas virtuais não podem apenas contar o envolvimento emocional que o cliente criou com a loja física. Ao invés disso, deveríamos pensar em maneiras de permitir que esse envolvimento puramente intuitivo se desenvolvesse também na experiência com o ecommerce.

Alguns aspectos que precisam ser considerados:

– Analise os motivadores de compra do seu segmento, no caso, quais as razões que levam o consumidor a comprar artigos de luxo. Pense como isso está se relacionando com a experiência dos clientes nas lojas físicas e partir disso pense em formas de transportar isso para o canal online.

– Reconheça sempre que ao comprar um artigo de luxo, o pagamento é sempre um momento desconfortável. Esqueça o benchmark da página de checkout da Amazon, pense em formas de atender o consumidor de uma forma diferente e menos racional enquanto os dados de pagamento e entrega são solicitados. Tornar essa etapa da compra algo natural e prazeroso é um dos principais diferenciais do mercado de luxo, acredite, seus vendedores sabem fazer isso!

– Curadoria de conteúdo já é reconhecida com uma importante ferramenta para ajudar a contar uma história e criar uma experiência de compra menos funcional no canal online. Desenvolva conteúdo e utilize-se dele nas etapas de transações de dados.

– Engaje sua equipe de visual merchandising com sua equipe de marketing online. Afinal de contas, são eles que vão investir tempo e verba pra fazer isso dar certo.

– Considere trabalhar campanhas de pós-compra no canal online (status de envio do produto não é uma campanha de pós-compra e sim apenas uma obrigação de qualquer empresa que utiliza sistemas de entrega). Vá a qualquer shopping com lojas de luxo e veja o rosto das pessoas que andam com as grandes sacolas das marcas pelos corredores, aquele sorriso é puramente uma expressão da identidade que o consumidor quer passar com a ajuda da identidade da marca comprada e em troca disso ele se torna o melhor canal de comunicação da marca naquele momento. Quais caminhos a tecnologia e o poder das redes sociais podem utilizar para obter um processo de pós-compra que seja tão valioso quanto andar com uma sacola pelos corredores de um shopping?

– Cada compra é única e o consultor de vendas da sua loja física sabe disso e usa isso pra tornar a experiência ainda mais fantástica (ou deveria, pelo menos). Se seu canal online tem capacidade de utilizar qualquer tipo de personalização, use. Mesmo que seja uma campanha por tempo determinado. Tornar a compra pessoal e customizada pode ser o melhor gancho para aumentar a lealdade ao seu canal online e promover sua marca através dos próprios clientes. Afinal, seja física ou com suporte de qualquer tipo de tecnologia, ir às compras sempre se torna uma experiência melhor se for feita socialmente.

Gigantes do e-commerce brasileiro no Congresso E-Commerce Brasil

congresso-operacoes-e-negocios-ecommerce-varejo-onlineLogística, operação, métricas, controle e novos negócios fazem parte dos temas discutidos no Congresso de 2013

Acontece em 25 de outubro, em São Paulo, o Congresso E-Commerce Brasil Operações & Negócios, realizado pelo Projeto E-Commerce Brasil e oferecido por IBOPE e-commerce, Dev Buscapé Company e iMasters.

Direcionado a profissionais de operação de e-commerce ou relacionados ao segmento, o evento tem como foco o estudo do processo operacional que está por trás de uma operação de e-commerce e suas oportunidades de negócios. Com a participação de profissionais do setor, o evento contará com palestras do Facebook, Google, Dafiti, Ibope, Correios e outras grandes empresas do setor. Mil congressistas são esperados no Hotel Unique, na capital paulista, para participar de 20 sessões que englobam palestras, paineis, apresentação de cases e talk shows, realizadas em um único auditório pelo período da manhã e distribuídas em três auditórios pela tarde, apresentados pela Vivianne Vilela, Gustavo Santi e In Hisieh.
apresentadores-congresso-ecb

As inscrições podem ser realizadas pelo site:

https://www.ecommercebrasil.com.br/eventos/congresso-e-commerce-brasil-operacoes-negocios-2013/.

Serviço:
Data:
25 de outubro de 2013
Horário: a partir das 9h
Local: Hotel Unique – Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4700 – São Paulo – SP.
Informações: https://www.ecommercebrasil.com.br/eventos/congresso-e-commerce-brasil-operacoes-negocios-2013/

Psicologia das cores #Infográfico

Já sabemos como as cores influenciam no comportamento do seu humano. E para um bom profissional de marketing é imprescindível que tenha conhecimento sobre a função das cores na hora de escolhê-las em determinadas peças, locais, imagens ou qualquer ação que envolva o impacto visual de uma cor.

O Infográfico abaixo foi o mais informativo que vi até agora. Encontrei ele no site Profissional de E-Commerce, produzido pelo Viver de Blog, que mandou muito bem.

Confira abaixo:
Infográfico_Psicologia_Cores_marketing

A Coca-Cola e a gestão da crise

Não é a primeira vez que abordamos o assunto aqui no MKTfocus. A Coca-Cola, por ter uma história incrível de branding e storytelling como exemplo, sabe trabalhar bem a gestão de uma crise.

comentarios-coca-cola-facebookO momento é delicado no Brasil, onde a piada do Rato dentro da garrafa toma conta de qualquer mesa de restaurante onde aparece a latinha vermelha, principalmente nas mídias sociais.

Sendo passageiro ou não, é bom que nós acompanhemos como a Coca-Cola tem lidado com a gestão de crises por meio da sua comunicação com os consumidores.

Veja abaixo o vídeo sobre a matéria do rato na garrafa e em seguida a resposta da Coca-Cola.

Vídeo publicado hoje na página da Coca-Cola no YouTube:

Laboratorium lança Curso de Inovação em Modelo de Negócios

bmgen-laboratorium-online

O curso Inovação em Modelos de Negócios foi criado pelo Laboratorium para quem quer inovar na criação do modelo de negócios ou se atualizar quanto ao tema. O conteúdo orienta para utilização do Canvas, a partir do referencial teórico do livro Business Model Generation, de Alexander Osterwalder e Yves Pigneur, acrescido da experiência adquirida nos projetos e produtos que os consultores do Laboratorium desenvolvem sobre esse tema.

Mais informações e inscrições: http://laboratorium.com.br/2013/09/curso-modelo-negocios/

Everybody wins with responsive web design #Infographic

Quando se fala em comunicação mobile o grande desafio é entregar a informação de uma forma agradável para quem recebe.

Adaptar o conteúdo ao tamanho ou tipo de tela é o foco do Design Responsivo. E a Synecore desenvolveu um infográfico interessante com algumas informações sobre o tema. Confira abaixo:
everybody-wins-with-responsive-web-design-infographic

Encontrei no Joe Gullo